Viver com simplicidade é um grande artifício da alma para se alcançar a felicidade. Pois ela mora sempre ao nosso lado e é despertada a cada momento de contemplação, entrega, aceitação e gratidão. A felicidade está disponível a todos, porém, temos sempre ela na nossa mente como meta inacessível. E por quê? Porque ainda buscamos fora o que existe cá dentro de nós. Alguns já perceberam que essa é a “chave” para a tal da felicidade e posso lhes dizer que uma dessas pessoas é essa moça linda aqui.

A Taís é minha prima e nessa seção ela estava grávida de Luana e Isabela. Sim, estava pois já deu à luz as duas meninas depois mesmo de já ter tido um menino, o Arthur e todos de parto normal. Casada há quase 15 anos com seu amor de adolescente, Tito, que já se tornou um primo querido também. Taís é das primas a mais delicada, de pouca conversa mas muito sorriso. Eu e minhas irmãs costumamos dizer que com ela não tem tempo ruim. Uma verdadeira guerreira que luta pelos seus ideais e acolhe a todos que precisam de sua ajuda. Para mim ela será uma eterna menina, a qual sempre faço questão de continuar chamando de Tatá, que trás boas lembranças dela correndo pela casa com seus cabelos loirinhos, de olhos puxados, mostrando seu quarto todo arrumando e roubando a atenção dos dois irmãos mais velhos. Deus agora a presenciou com uma família grande para que todos nós também possamos desfrutar dos seus filhos.

A vida da gente é sempre tão corrida que achamos que não estamos de fato aproveitando-a devido a tantos afazeres. Mas há quem diga o contrário, que quanto mais damos conta dos nossos compromissos, mais bonito se torna viver. Viemos de uma família muito festiva e simples pela qual tenho muito orgulho de ter eles por perto. E como hoje é o dia da nossa vovó, eu quero dar de presente não apenas a Tatá mas a vovó Terezinha a lembrança de poder ver nascer e crescer seus netos e bisnetos.

A nossa vovó foi quem mais me inspirou a fotografar cada momento das nossas vidas e colocá-los em porta-retratos que até hoje estão espalhados por toda a sua casa. Por isso eu quero dividir com vocês, mas, especialmente com ela algo de extremo valor que ela sempre nos ensinou a amar desde pequenos, as nossas boas lembranças. 🙂

E mesmo não os vendo tanto quanto eu gostaria, quero muito que saiba que minha admiração e carinho por vocês é imensurável. Vocês fazem da minha vida mais feliz. E como diria Osho “As pessoas felizes estão acrescentando alguma qualidade à existência; simplesmente por estarem felizes, criam vibrações de felicidade”.

Apertem o play e sintam-se em casa…  estamos todos entre família 🙂