É sempre no mais íntimo de nós que a conexão se estabelece. A conexão com os nossos sentidos, com a nossa percepção, com a nossa magnitude. Mas para se alcançar esse estado é necessário manter a mente em silêncio. Observar mais e falar menos. Sentir para se deixar tocar e tocar para se deixar ser sentido.

Dirigir de forma afetiva é se deixar ser penetrada por todos os símbolos e significados que estão ao nosso redor. É pedir licença as pessoas e ao lugar para que você se sinta parte integrante do todo e assim deixa de existir qualquer sensação de estranheza. A sabedoria que cada um nós carrega só se manifesta quando florimos o maior sentimento que existe em nos uni, o amor.

Essas foram algumas fotos da nossa primeira prática no “Descobrir-se”, em meio as águas do rio, luz do sol, canto dos pássaros, cores das flores, enfeitando elfas e duendes. Não precisa acreditar… basta sentir.